O setor da educação e a LGPD

O setor da educação e a LGPD

Diante da pandemia instaurada pela Covid-19, foi necessária a adoção de medidas tecnológicas, por parte do setor da educação, como universidades, cursos técnicos, escolas de nível fundamental e médio, a fim de assegurar o acesso dos alunos às aulas, mesmo que de forma online. O que trouxe à tona discussões atuais, como conectividade e segurança de dados, visto que as instituições educacionais também precisam se adequar à LGPD.

Uma pesquisa realizada pela Mastercard, em parceria com Instituto de Pesquisa Datafolha, demonstrou que 41% (quarenta e um por cento) das empresas do setor de educação são alvos fáceis de fraudes e ataques digitais, porém, apenas 29% (vinte e nove por cento) delas possuem uma área de cibersegurança de acordo com os princípios e normas estabelecidos pela LGPD.

O gerente da Mastercard afirmou que “em um mundo que está cada vez mais baseado em dados, se a gente não buscar prevenir, identificar e detectar as fraudes, a gente fica cada vez mais vulnerável” e mais “a educação é um setor que guarda informações importantes, dos próprios funcionários e de todos os alunos, e como você garante a segurança de tudo isso é um grande desafio”.

De acordo com essa pesquisa, a educação é um dos segmentos no mundo que mais acontece sequestro de dados, conhecido como ransomware. Neste tipo de ataque, os criminosos bloqueiam o acesso às informações e cobram caro pelo resgate dos dados roubados. Além disso, o famoso phishing também acontece nas instituições, já que os cibercriminosos podem fazer uso de dados privados para enganar professores e familiares de alunos, realizando ligações com os golpes arquitetados.

Quando foram entrevistados, mais da metade das instituições de ensino acredita que investir em cibersegurança traz maior confiabilidade para o setor e maior credibilidade diante dos clientes, como pais e alunos. Entretanto, 44% (quarenta e quatro por cento) das instituições entrevistadas declararam que, apesar da preocupação com os dados e ataques, a segurança digital não é prioridade no orçamento.

A LGPD também deve ser cumprida pelo setor educacional, a fim de que garantam a proteção de dados aos seus clientes. Assim, a adequação do setor mostra-se inevitável, uma vez que, a partir de agora, deixou de ser uma opção e passou a ser uma obrigação.

A pesquisa realizada cita algumas recomendações que o segmento educacional pode seguir para proteger os dados dos interessados, como fazer avaliações de riscos e fraudes periodicamente, investir em uma área de cibersegurança e prestadores de serviços que são expert no assunto, conscientizar funcionários sobre a importância do tema, além de muito mais.

REFERÊNCIAS:

https://porvir.org/setor-de-educacao-esta-exposto-a-ataques-digitais-mas-investe-pouco-em-ciberseguranca/