Quer descobrir como escapar das fake news? A gente te ajuda!

Não é nenhuma novidade expor que consumimos e produzimos informações quase 24 horas por dia, informações estas que vem da TV, redes sociais, rádio, podcast. E é exatamente por isso que devemos observar com atenção se essa notícia ou informação são reais, a fim de evitar a propagação de notícias falsas, tanto para nós mesmos como para o resto da população. 

Para auxiliar você, caro leitor, a identificar uma fake news, separamos algumas dicas, assim após finalizar o texto você será um “expert” em evitar as fake news, absorvendo apenas informações que são verdadeiras e concretas.

1.Verifique sempre se a informação possui fonte:

Os meios de comunicação devem se basear em dados coletados e fontes de informações verdadeiras, seja ela fornecida por site, vídeo, órgão governamental. E com ética que garanta a auditabilidade. É importante que o jornalista/veículo de mídia sempre apresente a fonte daquela informação. Referências com links e locais garantem que a ética jornalística está sendo respeitada. 

2. Verifique as informações direto na fonte:

Seria de grande valia confirmar as fontes fornecidas pelo autor buscando a origem da informação, verificando os nomes citados de quem a forneceu. Se a informação fala de Fulano A, nada melhor do que checar se o mesmo se pronunciou a respeito do fato. 

3. Certifique que o veículo de informação é confiável:

Verificar onde a notícia foi publicada, o autor da matéria, se o link é verdadeiro, data da ocorrência e a data de publicação da matéria, como o texto foi escrito. Deve-se tomar cuidado com sites falsos. Procure veículos confiáveis em seus meios de comunicação oficiais, além de também verificar quem são as partes interessadas por trás daquela mídia, e se caso essas influenciam negativamente na veracidade da informação.

4. Compare com outras fontes:

Pesquisar em outros meios de comunicação como sites, vídeos e jornais podem ajudar a identificar se as narrativas batem, ou se estão apresentando muitas discrepâncias, além de também avaliar os locais que, de costume, têm como tradição serem mais fiéis com a realidade e aqueles que emitem mais opiniões subjetivas.

5. Verifique a data da informação e outras atualizações:

Produzimos informações 24 horas por dia. É nosso dever verificar se a matéria é atual, dessa maneira evitando propagação de notícias desatualizadas. Apresentar a hora, data, local onde a informação foi gerada ou quando o fato ocorreu, além da forma de obtenção da informação (quando possível), favorecem a transparência do veículo. 

6. Leia a informação completa, não apenas o título:

Muitas vezes nos deparamos com títulos chamativos que possuem o intuito de atrair nossa atenção, mas nem sempre o corpo do texto reflete o que está presente na chamada. Essa estratégia é também chamada de “clickbait”, na qual o título não condiz com o teor da matéria. O problema não é o título ser chamativo, mas, sim, não condizer com o texto ou com o ocorrido. Ainda assim, devemos nos atentar para os casos em que existam “palavras fantasmas”, ou seja, aquelas que passam despercebidas, mas fazem total diferença. Por exemplo, notificar que “há indícios que o supermercado X vendeu um produto vencido” é bem diferente de “foi comprovado que o supermercado X vendeu um produto vencido”. Esse é o mal de não ler toda a informação.

7. Cuidado ao ler os comentários das notícias:

Infelizmente, grande parte da opinião pública carece de uma análise crítica como as dicas aqui apresentadas, o que acaba provocando comentários superficiais e equivocados nas redes sociais por pessoas que justamente “foram pegas” pelas artimanhas das fake news. Embora as redes sociais tenham se esforçado para eliminar perfis falsos, ainda podem existir, que são justamente programados para influenciar a opinião pública. 

8. Reporte as fake news:

Seja para o canal ou para a pessoa que te passou, talvez nem ela saiba que aquilo não é verdadeiro, quando o assunto são notícias falsas, todo cuidado é pouco. Por isso, a conscientização da população sobre esse tema é de extrema importância, além de incentivos para que todos saibam o básico de segurança da informação, é recomendado que, mesmo que a mensagem venha de alguém conhecido, desconfie, pois, muitos de nós temos o hábito de ver a chamada da notícia e repassar, sem sequer ler o conteúdo. Fique atento, pois mesmo um amigo ou parente pode repassar conteúdo falso sem saber deste fato. 

Com essas dicas ficou mais fácil identificar uma fake news, né?! Compartilhe com seus amigos e familiares, pois, independentemente de fatores pessoais, políticos ou filosóficos, somos todos contra as fake news.

Por Vitória Ribeiro

Estagiária de Direito

FONTE: https://www.tjpr.jus.br/noticias-2-vice/-/asset_publisher/sTrhoYRKnlQe/content/o-perigo-das-fake-news/14797?inheritRedirect=false